A Polícia Judiciária (PJ) anunciou esta quinta-feira a detenção de um jovem de 22 anos, na zona de Mangualde, distrito de Viseu, pela presumível prática reiterada de crimes de abuso sexual de crianças e de pornografia de menores.

Em comunicado enviado à Lusa, a Diretoria do Centro da PJ informa que a vítima é uma menor de 13 anos que o suspeito conheceu «através de uma rede social, tendo-a constrangido para encontros com o propósito de cometer abusos».

Presente a primeiro interrogatório judicial, o juiz de instrução criminal determinou que o arguido aguardasse o desenrolar do inquérito sujeito às medidas de coação de apresentações periódicas junto das autoridades e à de proibição de contactar com menores, adianta o comunicado.

Fonte da Diretoria de Coimbra da PJ afirmou que «os factos ocorreram na zona de Mangualde, onde o suspeito foi detido no dia 16», tendo a investigação iniciado uma semana antes.

«O arguido utilizava o Facebook para entrar em contacto com menores, de preferência com idade inferior a 14 anos, convencendo-as a exporem-se sexualmente, acabando por fotografar e filmar as suas partes íntimas”, explicou a mesma fonte, esclarecendo que, na posse das imagens, o suspeito “chantageava que colocava as fotografias a circular na Internet caso não cedessem a encontros».


Neste caso, «a vítima expôs-se», mas «os pais vieram a saber, através do Facebook e depois por contactos telemóvel», tendo denunciado imediatamente às autoridades policiais, o que levou a esta investigação e a que os encontros entre arguido e vítima não se realizaram.

O arguido trabalha numa empresa na mesma zona e não tem antecedentes criminais, acrescentou a PJ, que admite a existência de mais vítimas, porque o jovem «utilizava este esquema há algum tempo».

A PJ aconselha os pais de menores a «estarem atentos às atividades dos filhos na Internet», alertando «a comunidade em geral que quer a simples posse, quer a partilha de ficheiros de cariz sexual envolvendo menores, é crime».