A GNR de Vilar Formoso, Almeida encerrou uma sucateira com sede em Mangualde por suspeita de deter cobre furtado, constituindo a proprietária de 39 anos como arguida.

Foi durante uma operação de busca desencadeada pelo núcleo de Investigação Criminal do Destacamento Territorial de Vilar Formoso, que a empresa sucateira foi identificada por deter 1.040 quilogramas de cobre que alegadamente seria furtado.

A «recetação de metais não preciosos, nomeadamente cobre, furtados de linhas da Portugal Telecom em vários concelhos do distrito da Guarda», foram o principal motivo que levaram ao encerramento temporário, disse à agência Lusa fonte do Comando Territorial da GNR da Guarda.

A sucateira em causa terá recebido sete mil quilogramas de cabo de cobre furtado desde janeiro deste ano por seis suspeitos já identificados.