O Conselho Superior de Defesa Nacional deu esta segunda-feira parecer favorável a três novas missões militares no exterior, nomeadamente na Lituânia e na República Centro-Africana, e ao reforço da missão de treino no Mali.

«O Conselho deu parecer favorável à proposta do Governo sobre o empenhamento de destacamentos das Forças Armadas em missões no exterior do território nacional em 2014», afirmou o major-general Goulão de Melo, ao ler o comunicado final do CSDN, órgão consultivo do Presidente da República, que esteve reunido durante cerca de duas horas no Palácio de Belém.

Relativamente às novas missões, o Conselho deu o parecer favorável à de policiamento do espaço aéreo da Lituânia, no âmbito da OTAN (NATO na sigla em inglês). Nessa missão, que irá decorrer durante quero meses, estarão envolvidos seis F16 e um efetivo de 70 militares.

Na República Centro-Africana, a missão de apoio realizada no âmbito da União Europeia terá apenas a duração de um mês e irá envolver uma aeronave C-130 e 47 militares. Os meios ficarão estacionados em Libreville, no Gabão.

No âmbito das Nações Unidas, irá realizar-se uma missão de apoio às operações de segurança para neutralização das armas químicas na Síria, com o emprego de uma aeronave P3C e um efetivo de 22 milhares, no Mediterrâneo.

O Conselho Superior de Defesa Nacional deu também parecer favorável ao reforço de cinco militares na missão de treino da União Europeia no Mali e à redução de 60 militares na missão da OTAN no Afeganistão.

Atualmente, no Mali está um oficial da Força Aérea em Bamako e seis militares portugueses - atiradores especiais - em missão de treino e formação dos militares malianos em Koulikoro.

Na semana passada, o ministro da Defesa adiantou que, no âmbito do reforço de meios na missão do Mali, seriam enviados um oficial para o quartel-general da operação e uma equipa de treino de controladores aéreos.