Portugal recebeu, na quinta-feira, 14 refugiados, que foram instalados no Serviço Jesuíta aos Refugiados (JRS), em Lisboa, anunciou esta sexta-feira o Ministério da Administração Interna (MAI).

Em comunicado, o MAI adianta que Portugal recebeu os 14 refugiados ao abrigo do acordo de cooperação com o Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR), no âmbito da política de cooperação internacional e do Programa Nacional de Reinstalação de Refugiados.

Os refugiados acolhidos por Portugal são provenientes dos Camarões (um), Irão (dois), República Democrática do Congo (dois), Senegal (um) e Costa do Marfim (oito) e foram propostos pelo ACNUR, tendo a sua entrada no país sido analisada e validada pelo Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF), acrescenta o MAI.

Segundo o Ministério da Administração Interna, a organização parceira do Estado para o acolhimento deste grupo de refugiados é o Serviço Jesuíta aos Refugiados.

Na nota, o MAI indica que o Programa Nacional de Reinstalação de Refugiados é financiado por fundos comunitários, sendo que Portugal, também no quadro de solicitação da União Europeia, já manifestou disponibilidade para aumentar a quota de reinstalação no próximo ano.

Um refugiado é uma pessoa que, devido a receio fundado de perseguição, pela raça, religião, nacionalidade, pertença a um certo grupo social ou por opiniões políticas, fugiu ou se encontra fora do país de origem e ao qual não pode ou não quer regressar, pelo risco de perseguição.