A ministra da Administração Interna, Constança Urbano de Sousa, disse, neste domingo, que a invasão de pista do aeroporto de Lisboa, no sábado, não foi um ato terrorista, mas sim uma "tentativa desesperada de imigração ilegal".

De acordo com a PSP, o aeroporto de Lisboa esteve encerrado no sábado durante 34 minutos depois de quatro homens terem fugido ao controlo de passaportes e entrado "numa zona restrita", mais concretamente na pista de aterragem.

Esta tarde, em declarações aos jornalistas, em Bucelas, a ministra da Administração Interna, Constança Urbano de Sousa, afirmou que esta ação, perpetrada por quatro homens de nacionalidade argelina, não constitui um ato de terrorismo, mas sim uma "tentativa desesperada de imigração ilegal".

Confirmo que não foi uma tentativa de terrorismo. Estes homens iam num voo com destino a Cabo Verde mas aproveitaram uma paragem em Lisboa para tentar fugir para a plataforma. Tratou-se de uma tentativa desesperada de entrar na União Europeia", apontou.

Nesse sentido, a governante sublinhou que "não existe qualquer indício que obrigue a aumentar o nível de alerta terrorista em Portugal".

Todo o protocolo de segurança funcionou e estes homens foram detidos imediatamente. Saio descansada deste processo e estou tranquila", admitiu.

A ministra referiu ainda que os quatro cidadãos argelinos irão ser presentes a tribunal, na segunda-feira, para que sejam aplicadas as respetivas medidas de coação.

Constança Urbano de Sousa presidiu esta tarde em Loures à cerimónia do 125.º aniversário da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Bucelas.