A criminalidade violenta e grave desceu no primeiro semestre deste ano em relação ao mesmo período de 2016, enquanto a criminalidade geral registou uma ligeira subida, revelou esta terça-feira a ministra da Administração Interna, na Assembleia da República.

De acordo com os dados que disponho, a criminalidade violenta e grave continua a sua tendência de descida e a criminalidade geral tem registado um ligeiro aumento de cerca de dois por cento no primeiro semestre 2017 relativamente ao período homólogo”, disse Constança Urbano de Sousa, avisando que são números provisórios.

A ministra da Administração Interna participou à tarde, no plenário da Assembleia da República, num debate sobre o Relatório Anual de Segurança Interna (RASI) de 2016.

Fonte do Ministério da Administração Interna avançou à agência Lusa que os dados provisórios indicam que a criminalidade grave e violenta desceu 8,3% no primeiro semestre do ano em relação ao mesmo período de 2016.

Constança Urbano de Sousa adiantou que estes dados confirmam que “Portugal continua a ser um país seguro” e “o terceiro mais seguro do mundo”.

Segundo o RASI, a criminalidade violenta e grave diminuiu 11,6% em 2016 face ao ano anterior e a criminalidade geral participada baixou 7,1%, sendo os crimes de furto e de roubo os que mais desceram.

Por sua vez, os crimes informáticos, de burla e tráfico de droga foram alguns dos que mais subiram no ano passado.

A ministra sublinhou também que desde 2008 se verifica “uma descida muito sustentável” da criminalidade, tendo a geral descido 21%, entre 2008 e 2016, e a violenta e grave menos 32%.