Os pais da lusodescendente de nove anos que desapareceu há um mês no leste de França pediram, nesta quinta-feira, ao suspeito de 34 anos para “revelar o que sabe”, lançando assim um “apelo à verdade”, segundo o seu advogado.

Os pais de Maëlys de Araújo, a menina que desapareceu na noite de 26 para 27 de agosto quando estava numa festa de casamento em Pont-de-Beauvoisin com os progenitores, falaram hoje publicamente pela primeira vez numa conferência de imprensa em Lyon.

Pedimos a todas as pessoas que possam ajudar os investigadores a manifestar-se rapidamente. Hoje, um homem é suspeito, acusado por juízes que têm provas graves e concordantes contra ele (…). Nós pedimos que ele conte tudo o que se passou naquela noite e que coopere com a justiça”, disse a mãe de Maëlys, Jennifer, que estava acompanhada pelo marido.

O suspeito de 34 anos foi acusado e detido no dia 3 de setembro, uma semana após o desaparecimento da menina que continua em paradeiro desconhecido, alegadamente por ter sido encontrado um vestígio de ADN de Maëlys no interior do seu carro.

Não estamos a dizer que estamos à procura de um culpado a todo o custo e sem uma prova válida (…). No entanto, tendo em conta as últimas revelações do caso e também a sua estranha atitude no casamento, pedimos-lhe que revele tudo o que sabe. Esperamos que ele ouça o nosso pedido de ajuda porque o nosso desejo é encontrar novamente a nossa filha”, sublinhou Jennifer.

O pai de Maëlys, Joachim de Araújo, agradeceu as mensagens de apoio e os trabalhos realizados no âmbito das buscas pela filha.

Após o desaparecimento da nossa filha, queríamos proteger a nossa privacidade e igualmente respeitar o trabalho dos investigadores e dos juízes. As buscas, testemunhos e inúmeros auxílios à investigação são indispensáveis e agradecemos novamente. As mensagens de apoio aquecem-nos e ajudam-nos a resistir."

O suspeito de 34 anos vive com os pais nos Alpes franceses, a poucos quilómetros de Pont-de-Beauvoisin, e chegou no final do casamento, tendo estado ausente da festa num momento que pode corresponder ao do desaparecimento de Maëlys.

O homem explicou depois que tinha ido a sua casa mudar os calções que estariam manchados com vinho e que ele colocou no lixo por estarem sujos e velhos. De acordo com o seu advogado, Bernard Méraud, esta ausência, confirmada pela mãe do suspeito, “é anterior ao momento do desaparecimento da menina”, por volta da 01:00