Em comunicado enviado às redações, a PJ garante que continuou a «estar atenta a toda e qualquer informação suscetível de permitir conhecer o paradeiro da menor Madeleine McCann», cujo caso foi reaberto nesta quinta-feira pelo Ministério Público.

«À semelhança do que sucede com todos os casos de crianças desaparecidas, não obstante o arquivamento formal do inquérito relativo ao seu desaparecimento, e como sempre foi publicamente afirmado, a Polícia Judiciária continuou a estar atenta a toda e qualquer informação suscetível de permitir conhecer o paradeiro da menor Madeleine McCann, as circunstâncias em que ocorreu o seu desaparecimento e a identidade do(s) seu(s) autor(es)», pode ler-se no comunicado.



De acordo com o Diretor Nacional da Polícia Judiciária, «em março de 2011, foi atribuída a uma equipa de investigadores da Diretoria do Norte a missão de reanalisar todo o vasto conjunto de informação constante do inquérito, com o objetivo de identificar aquela cujo aprofundamento se revelasse útil e possível».



O «trabalho de reanálise», que decorreu durante os últimos dois anos e meio, «permitiu conhecer novos indícios que, impondo a continuação da investigação, preenchem os requisitos estabelecidos pelo art.º 279º nº 1 do Código de Processo Penal para a reabertura do inquérito».