A turista inglesa socorrida no domingo por pescadores, quando tentava alcançar a nado o navio de cruzeiro onde tinha viajado até ao Funchal, foi internada num hospital psiquiátrico da Madeira, informou esta segunda-feira fonte do Serviço Regional de Saúde.

A mulher, de 65 anos, foi inicialmente transportada para o Hospital Dr. Nélio Mendonça, onde deu entrada no princípio da madrugada de domingo em estado bastante debilitado e com sintomas de hipotermia, mas foi transferida para a Casa de Saúde Câmara Pestana (hospital psiquiátrico para mulheres), tendo-lhe sido diagnosticado um surto agudo psicótico.

A turista chegou à Madeira no sábado (26 de março), acompanhada pelo marido, a bordo do navio "Marco Polo", mas, por razões ainda não apuradas, os dois terão decidido regressar a Inglaterra de avião.

O marido embarcou no voo das 18:55 com destino a Bristol, mas a mulher acabou por ser recolhida horas mais tarde por pescadores amadores, na zona de Santa Cruz, a leste do Funchal, onde fica o aeroporto, alegadamente quando tentava alcançar o navio a nado.

"Foi uma situação de milagre", disse à Lusa Marildo Freitas, um dos três pescadores responsáveis pelo resgate da turista, que aconteceu às 00:30 de domingo.

Marildo Freitas contou que decidiram fazer uma pescaria no final da noite por mero acaso, afastando-se cerca de 200 metros da costa, a bordo de um pequeno barco, na zona de São Pedro, concelho de Santa Cruz.

Pouco depois da meia-noite, os pescadores ouviram algo que lhes pareceu gritos, mas pensaram que podiam ser cagarras (ave marinha) e também acharam que o som provinha da costa.

Marildo Freitas explicou, no entanto, que decidiram desligar o motor do barco e escutar com mais atenção e foi então que ouviram alguém a pedir ajuda em inglês: "Help. I need help!".

O pedido de socorro vinha do mar, a cerca de 500 metros da costa, e, servindo-se das lanternas, os pescadores descobriram a turista, que estava completamente vestida, incluindo os sapatos, e nadava agarrada à mala de mão, que lhe servia de boia.

Recolheram-na cerca da meia-noite e meia e transportaram-na para o porto de abrigo de São Pedro, onde já se encontrava uma ambulância dos Bombeiros Municipais de Santa Cruz, que entretanto tinham sido alertados.

Marildo Freitas disse que a senhora se identificou como Susy e que estava "muito confusa" e "bastante pálida". Parecia "uma personagem do Titanic", afirmou.

O comandante da Capitania do Funchal, Félix Marques, relatou que até ao momento só é conhecida a versão da mulher, que informou às autoridades que depois de terem desembarcado no Funchal, ela e o marido compraram bilhete de avião com destino a Bristol.

"Já no aeroporto, o marido disse, segundo o relato da senhora, que afinal apanhava um táxi e regressava ao navio, mas isso não aconteceu e ele embarcou no avião", explicou Félix Marques, considerando que terá sido neste contexto de desorientação que a turista acabou por se atirar ao mar, quando viu o "Marco Polo" passar pela zona de Santa Cruz, cerca das 20:30.

A turista terá estado na água mais de três horas até ser socorrida.

O navio, que vinha de Barbados, deixou o porto do Funchal às 20:00 de sábado, tendo seguido viagem para Lisboa, onde atracou hoje cerca das 07:00.

Entretanto, fonte da Blatas, agente do navio na Madeira, disse que a operação no porto foi simples e normal, adiantando não ter conhecimento do que terá motivado o casal inglês a desistir da viagem no Funchal.