As buscas para encontrar o turista alemão desaparecido domingo no mar a norte da ilha da Madeira vão ser hoje retomadas por mar e por terra, disse à agência Lusa fonte da Capitania do Porto do Funchal.

«Ontem [terça-feira], só fizemos buscas por terra porque as condições de mar não eram adequadas. Hoje as condições meteorológicas já são mais favoráveis, pelo que vamos empenhar meios náuticos no local», disse à Lusa o comandante da Capitania do Porto do Funchal, Félix Marques.

De acordo com o mesmo responsável, vão ser utilizados dois meios da Capitaina do Porto do Funchal e uma embarcação salva-vidas do SANAS (Associação Madeirense para Socorro no Mar).

«Hoje vamos manter as buscas em terra percorrendo a zona do Calhau, na costa norte, até onde é possível percorrer, na tentativa de encontrar o corpo», explicou Félix Marques, adiantando que, em terra, é impossível alargar mais o perímetro de busca, já que os meios só podem ir até onde começa a falésia.

Em contrapartida, o comandante frisou que a área marítima a ser percorrida vai ser estendida até à Ponta do Pargo, «a duas a três milhas do local onde se deu o acidente até ao extremo oeste da ponta da ilha».

O turista alemão desapareceu domingo no mar que banha a fajã da Quebrada Nova, na Achada da Cruz, no concelho do Porto Moniz, ao ser arrastado por uma onda quando se encontrava a tirar fotos na praia de calhau daquela fajã no extremo noroeste da ilha da Madeira.

O turista estava acompanhado por um outro homem, também de nacionalidade alemã, que escapou à rebentação das ondas.