Os trabalhadores da empresa «Electro Lugares», acompanhados por alguns familiares, concentraram-se hoje em frente à entrada da Presidência do Governo Regional da Madeira e exigiram o pagamento dos salários em atraso.

«Alberto escuta, o povo está em luta», «trabalhamos, queremos os nossos salários, a nossa família está à fome», «iluminamos a cidade para o Natal e o Fim do Ano, exigimos responsabilidade da Secretária Regional do Turismo», são algumas das palavras de ordem e inscrições nos cartazes utilizadas pelos trabalhadores.

Estes funcionários estão em greve há duas semanas e reivindicam o pagamento dos salários desde outubro e dos subsídios de Natal e de Férias.

Antes de se concentrarem na Quinta Vigia, os manifestantes estiveram na Secretaria Regional da Cultura, Turismo e Transportes, mas foram informados de que a responsável «estava ausente».

Entregaram um documento endereçado a secretária regional do Turismo, Conceição Estudante, e ao secretário regional da Educação e Recursos Humanos, Jaime Freitas, no qual expõem a situação e exigem o pagamento das remunerações em falta.

Depois, decidiram rumar à residencial oficial de Alberto João Jardim para apresentarem a sua reivindicação, chegaram a entrar na Quinta Vigia, onde lhes foi comunicado que o presidente do Governo «não os recebia, a menos que apresentassem um pedido por escrito».

Os trabalhadores e familiares concentraram-se então no exterior da Presidência do Governo Regional, gritando palavras de ordem e mostrando as suas exigências com cartazes sob o olhar de uma Equipa de Intervenção Rápida da PSP.

«Quando é para votar é que se lembram que a gente é do povo e somos necessários», desabafou o porta-voz dos trabalhadores da empresa, José Abreu.

O dirigente do Sindicato das Indústrias Elétricas, António Gouveia, disse à agência Lusa tratar-se de «uma concentração espontânea de trabalhadores, decidida após terem sido informados de que a Secretária do Turismo não se encontrava no gabinete».

«Os trabalhadores precisam de uma resposta, as famílias estão a passar dificuldades e as autoridades públicas devem tomar uma decisão, pois eles também prestam serviços públicos», afirmou o sindicalista.

A «Electro Lugares, Tabua, Lda», com sede concelho da Ribeira Brava, é uma empresa privada que foi subcontratada pela Lusoesfera, a vencedora do concurso para a colocação das iluminações de Natal e Fim do Ano na baixa do Funchal, efetuando este tipo de serviço para arraiais.

Entretanto, Alberto João Jardim das instalações saiu na viatura oficial para almoço, sob a batuta das palavras de ordem, mas sem falar com os trabalhadores.