O Governo Regional da Madeira vai deslocar 16 doentes em situação de alta problemática do Funchal para um centro de saúde em Machico, na sequência da falta de camas no hospital central para internamento de doentes agudos.

O secretário regional dos Assuntos Sociais, Francisco Jardim Ramos, explicou esta quarta-feira à Lusa que esta foi a forma encontrada para fazer vagar 16 camas «absolutamente necessárias» no hospital e que a medida tem efeito imediato e passará a ser recorrente.

A região tem tido alguns picos de gripe e de pneumonias a afetar pessoas idosas, que depois, em vários casos, são deixadas no hospital central do Funchal, o que tem dificultado o tratamento de outro tipo de doentes.

«Os serviços de medicina precisam destas camas e a solução encontrada pelo governo foi a de os transferir para o Centro de Saúde do Porto da Cruz, onde existe um último piso que reúne todas as condições para o funcionamento de uma unidade de internamento vocacionada para a prestação de cuidados de saúde», referiu Francisco Jardim Ramos.

Atualmente, de acordo com o responsável, serão cerca de 150 as altas problemáticas na região, relativas a «pessoas que as famílias têm dificuldade em voltar a inserir no meio familiar».

A Secretaria Regional dos Assuntos Sociais vai protocolar com o Instituto de Segurança Social regional a utilização do andar no centro de saúde e comparticipará a medida com uma verba anual de 217 mil euros, valor a entregar à Associação Causa Social, que irá gerir estas camas para altas problemáticas.

Francisco Jardim Ramos reconheceu que o montante agora disponibilizado «é insuficiente» e ressalvou que «as famílias devem fazer uso dos meios que a região tem ao dispor para tratar dos seus familiares», quer através de comida ao domicílio, quer através dos serviços de enfermagem.