A Secretaria Regional da Economia, Turismo e Transportes da Madeira admitiu esta segunda-feira que dois navios cancelaram as escalas previstas no porto do Funchal, devido à situação dos incêndios ocorridos na passada semana, na ilha.

Houve duas escalas que foram canceladas relacionadas com incêndios”, disse fonte do gabinete do secretário regional à agência Lusa.

Segundo a mesma fonte, um dos cruzeiros que não escalou o Funchal, foi no dia 10, quando ocorriam os incêndios, e a outra situação aconteceu esta segunda-feira.

No dia 10, foi o navio “Costa Mágica”, que transportava cerca de 1.800 pessoas, e, hoje, o “Aida Cara”, com 1.200 passageiros.

No que se refere ao navio de hoje, as pessoas procuraram, e havia programas de visitas que incluíam as zonas afetadas pelos incêndios, pelo que o agente optou por esta solução”, adiantou.

O gabinete do secretário da Economia e Turismo da Madeira aponta que “não existe, até ao momento, outros cancelamentos de escalas de navios de cruzeiro, devido a esta situação dos incêndios”.

“A Secretaria, da mesma forma que está a intervir junto da hotelaria nacional para informar e controlar os efeitos no exterior, também está a trabalhar junto do mercado de cruzeiros, para ultrapassar esta situação”, informou.

A Madeira foi assolada na passada semana por um conjunto de incêndios que afetaram sobretudo os concelhos do Funchal, Calheta e Ponta do Sol.

Três vítimas mortais, mil pessoas retiradas de habitações, hospitais, clínicas e lares de idosos, mais de 200 desalojados, cujas casas foram total ou parcialmente danificadas pelo fogo, e avultados danos materiais, constituem o balanço até ao momento destes incêndios na ilha.