O tribunal deu esta quarta-feira como provado que o livro do ex-inspetor da Polícia Judiciária (PJ) Gonçalo Amaral, intitulado «Maddie: A Verdade da Mentira», causou danos aos pais de Madeleine McCann, criança britânica desaparecida em 2007, no Algarve.

Em despacho, a magistrada considerou ainda que o livro reproduz trechos que constavam do processo em que Kate e Gerry McCann foram constituídos arguidos, em setembro de 2007, arquivado em julho do ano seguinte, sem que o casal britânico tenha sido acusado.

Madeleine McCann desapareceu quando tinha quatro anos, no aldeamento turístico da Aldeia da Luz, perto de Portimão, onde a família se encontrava em férias.

Kate e Gerry McCann sempre mantiveram a posição de que Maddie foi raptada. O caso foi reaberto recentemente pelo Ministério Público.