O antigo presidente da Câmara de Macedo de Cavaleiros, no distrito de Bragança, Luís Vaz morreu ao final da tarde de segunda-feira no Instituto Português de Oncologia (IPO) do Porto, onde estava internado há uma semana.

A notícia da morte do antigo autarca e dirigente socialista, com 63 anos, foi comunicada pelo Partido Socialista de Macedo de Cavaleiros e pela Câmara Municipal dirigida pelo social-democrata Duarte Moreno, com uma nota de pesar.

O funeral de Luís Vaz, que lutava há vários meses contra um problema oncológico, realiza-se na quinta-feira, às 10:30, na igreja nova de Macedo de Cavaleiros, onde o corpo estará em câmara ardente a partir das 15:00 de hoje, segundo informou o PS local.

O presidente da Câmara de Macedo de Cavaleiros expressou, em comunicado, “profundo pesar” pela notícia do falecimento de “um dos homens que se destacou no exercício de cargos políticos no concelho.
 

“A política, onde em momentos fomos adversários, não foi nunca motivo para quebrar a amizade que nos unia. Luís Vaz foi um homem que admirei pela determinação com que defendeu as suas ideias e a força que sempre demonstrou, mesmo já conhecedor da doença que o vitimou, inclusive no atual mandato como membro da Assembleia Municipal, deve, para nós, servir de exemplo e inspiração nas funções públicas que desempenhamos”, refere o autarca.


Duarte Moreno associa-se “à dor da sua família e amigos”, a quem enviou as mais sentidas condolências.

Luis Vaz foi presidente da Câmara de Macedo de Cavaleiros durante dois mandatos consecutivos, entre 1994 e 2002.

Entre os múltiplos cargos que desempenhou, foi um destacado militante do Partido

Socialista, deputado à Assembleia da República na X Legislatura (2005-2009), presidente da Assembleia Municipal de Macedo de Cavaleiros (1990-1992), vereador da Câmara e membro da assembleia em sucessivos mandatos.

Era ainda, na atualidade, membro eleito pelo PS na Assembleia Municipal.