MAC só deve fechar depois de novo hospital construído

Posição é defendida pelo Bloco de Esquerda

Por: tvi24 / MM    |   25 de Abril de 2012 às 11:27
O BE defendeu, esta quarta-feira, que a Maternidade Alfredo da Costa (MAC) só deve ser encerrada quando estiver construído o novo Hospital de Todos-os-Santos e puder ser transferida em conjunto com «todos os velhos hospitais».

«É um erro tremendo se o Governo insistir no encerramento da maternidade e no desmantelamento das suas equipas, porque isso é perder a excelência e a qualidade da atividade lá desenvolvida», afirmou à agência Lusa o deputado bloquista João Semedo, que na terça-feira visitou e reuniu com a direção da MAC, juntamente com o líder parlamentar, Luís Fazenda, e a deputada Ana Drago.

Segundo João Semedo, «o que é necessário é construir o Hospital de Todos-os-Santos, em Lisboa, que reúna todos os velhos hospitais e que, quando isso acontecer, então transferir toda a MAC para esse novo hospital».

«Até lá deve-se insistir, preservar e melhorar as condições dentro do que for necessário na MAC, para que ela continue a satisfazer as necessidades das sucessivas gerações que lá têm os seus filhos», defendeu.

O vice-presidente da bancada bloquista referiu ainda que a visita à MAC permitiu «ver a qualidade das instalações, a riqueza das tecnologias, os muitos investimentos que têm sido feitos pelo Estado ao longo dos anos». «Pudemos confirmar que a MAC tem cada vez mais partos, mais consultas, mais urgências e tem uma diferenciação que não existe em mais nenhuma outra maternidade do país», acrescentou.
PUB
EM BAIXO: Maternidade Alfredo da Costa [LUSA]
Maternidade Alfredo da Costa [LUSA]
COMENTÁRIOS

PUB
Grécia pode receber créditos de emergência para evitar "crise humanitária"

Presidente do Parlamento Europeu, Martin Schulz, admite conceder créditos de emergência ao país helénico como medida de transição. Schulz diz que Alexis Tsipras conduziu os gregos a um beco sem saída, mas que a população "não tem culpa disso". Na véspera da realização do referendo que pode ditar o futuro da Grécia, o clima de tensão mantém-se. O ministro das Finanças alemão admite que os gregos poderão estar a escolher entre o euro e o dracma. Já Yanis Varoufakis diz que o que a Europa está a fazer à Grécia é "terrorismo"