O antigo presidente da Portugal Telecom, Miguel Horta e Costa, foi ilibado num inquérito em que era suspeito de subornar o ex-presidente brasileiro, Lula da Silva, para facilitar um negócio da telefónica portuguesa no Brasil. 
 
A denúncia partira de um publicitário brasileiro, condenado no processo do “Mensalão”.
 
Miguel Horta e Costa era acusado de, em 2005, ter oferecido perto de seis milhões de euros ao Partido dos Trabalhadores do Brasil para que Lula da Silva desbloqueasse o impasse na compra da Telemig Celular, a operadora telefónica de Minas Gerais.
 
Em Portugal o caso estava pendente no Departamento Central de Investigação e Ação Penal. O inquérito analisou contas bancárias em Portugal e no estrangeiro e segundo o Ministério Público não se provou que o ex-presidente da PT tenha praticado o crime de corrupção no comércio internacional.
 
No despacho final, o Ministério Público ressalva que o inquérito poderá ser reaberto, caso surjam factos novos que o justifiquem.