Mais de 70 advogados juntaram-se numa espécie de plataforma de apoio às mães portuguesas que ficaram sem os seus filhos, retirados pelos serviços sociais ingleses.

O grupo nasceu de forma espontânea e é um grito de indignação perante o que viram na investigação da TVI.

Agora, a ideia é encontrarem soluções para que estas mães possam ter apoio jurídico gratuito, mas também, funcionarem como forma de pressão junto do poder político.

O advogado Pedro Proença garante que há advogados ingleses dispostos a ajudar.

“Nós sabemos que existem, e estamos em contacto até com associações de advogados ingleses que trabalham pro bono, que já se disponibilizaram para colaborar com estas famílias”.

E defende um apoio incondicional a estas famílias.

“O interessante seria: o nosso Governo, o Ministério dos Negócios Estrangeiros, a secretaria de Estado das Comunidades protocolarem com estas associações o apoio efetivo, isento e gratuito, a estas famílias”.

O movimento é de apoio, mas também uma forma de pressão junto do poder político. Na opinião de Pedro Proença, o Governo português já devia ter atuado.

“Seria imperativo que o nosso ministro dos Negócios Estrangeiros já tivesse intervindo junto do seu congénere inglês para tentar perceber de que forma é que estas situações podem ser evitadas e até que ponto o Estado português pode até assumir responsabilidade no acompanhamento destas situações se permitirem que estas famílias regressem a Portugal com os seus filhos”.

Perante a falta de ação, o advogado não esconde a indignação.

“Eu não percebo como é que há esta passividade do Governo português relativamente a uma realidade que atinge gravemente famílias portuguesas e crianças portuguesas”.

O consulado português em Londres já reagiu, através da rede social Facebook e diz que as famílias “têm direito a apoio jurídico gratuito”. Uma afirmação diferente daquela que deu o secretário de Estado das Comunidades à TVI.

Perante a falta de resposta por parte das autoridades portuguesas, duas das mães que participaram na reportagem da TVI fizeram, entretanto, um apelo desesperado para que os seus filhos sejam resgatados.

VEJA AQUI A REPORTAGEM NA ÍNTEGRA