Um homem detido na sexta-feira em flagrante delito, após assaltar uma residência na Lousã, e que se encontrava alegadamente foragido de uma prisão francesa, faltou esta quarta-feira ao julgamento no Tribunal da Lousã, disse fonte da GNR.

O homem, de 46 anos, foi ouvido na sexta-feira no tribunal de turno, em Coimbra, e libertado sem que lhe tivessem sido aplicadas medidas de coação.

Fonte do Destacamento da Lousã da GNR adiantou que o homem, de nacionalidade portuguesa, se tinha evadido, há cerca de três anos, de um estabelecimento prisional em Bordéus, de acordo com informações da Interpol, mas que não existia qualquer mandado de detenção europeu.

O suspeito estava notificado para estar presente hoje às 10:00, no Tribunal Judicial da Lousã, para julgamento, mas não compareceu.

Segundo fonte judicial, a sentença foi lida à revelia e o homem condenado a prisão efetiva, embora sem precisar o número de anos de cadeia que terá de cumprir se vier a ser capturado após a emissão do respetivo mandado.

O suspeito foi surpreendido por militares do Posto Territorial da Lousã da GNR, na tarde de sexta-feira, a abandonar uma residência, na posse de várias peças de ourivesaria, um guarda-joias e uma máquina fotográfica.

Perseguido por terrenos agrícolas anexos à moradia, acabou detido, tendo os objetos furtados sido recuperados e entregues à proprietária.