Mais de metade das famílias ciganas que abandonaram a Quinta da Fonte, em Loures, na sequência do tiroteio ocorrido em Julho do ano passado naquele bairro, ainda não regressaram, por acreditarem não existir segurança para a comunidade, noticia a Lusa.

«Não cumpriram aquilo que prometeram e por isso é que ainda não regressámos», explicou esta segunda-feira à Lusa, o porta-voz da comunidade cigana da Quinta da Fonte, José Fernandes.

Das 50 famílias que em Julho de 2008 abandonaram a Quinta da Fonte na sequência dos confrontos que envolveram a comunidade cigana e africana daquele bairro, apenas 24 famílias regressaram, permanecendo as restantes 26 em casas de familiares.

«Não existem condições. Ainda ontem à noite [domingo], por exemplo, na Quinta da Fonte partiram uma série de carros», contou José Fernandes.

Além disso, as palavras proferidas este sábado pelo Ministro da Administração Interna, Rui Pereira, que garantiu que «o Contrato Local de Segurança em Loures estava a ser um êxito», não tranquilizam este antigo morador da Quinta da Fonte que continua a temer pela vida.

«As rixas nunca mais acabam. Eu que vivi lá e sei bem do que estou a falar», garantiu, admitindo no entanto que um reforço policial permanente poderia «minimizar os confrontos».

«No bom caminho»

Este pessimismo não é, contudo, partilhado pelo coordenador do Programa Escolhas na freguesia da Apelação, António Embalo.

António Embalo, cujo trabalho o leva a ter bastante contacto com as crianças, nomeadamente na sua ocupação dos tempos livres, acredita que «hoje já há mais credibilidade nas acções realizadas na Quinta da Fonte», admitindo, no entanto, que os efeitos do Contrato Local de Segurança, demorarem algum tempo a fazerem sentir-se. «Temos de esperar. É um contrato muito recente», disse.

Por seu turno o presidente da Junta de Freguesia da Apelação, José Henrique Alves, considerou que «as coisas no bairro da Quinta da Fonte estão muito melhores, embora ainda existam algumas situações pontuais».

«Acredito que as coisas estão no bom caminho, até porque agora foi criada uma Comissão de Moradores», apontou.

Bairro problemático

A 11 de Julho do ano passado, meia centena de indivíduos de dois grupos da Quinta da Fonte envolveram-se em confrontos com utilização de armas de fogo, segundo a PSP, que indicou ter detido dois indivíduos e apreendido algumas armas de fogo e munições de calibre variado.

No dia anterior, uma rixa entre dois grupos de do mesmo Bairro tinha provocado nove feridos ligeiros e danos em várias viaturas.

O Bairro da Quinta da Fonte, na Freguesia da Apelação, Concelho de Loures, foi edificado para acolher desalojados pela construção dos acessos viários à Expo-98 e tem actualmente 2.500 habitantes de várias origens.

O Ministério da Administração Interna assinou um Contrato Local de Segurança com a Câmara Municipal de Loures no dia 12 de Setembro de 2008.