As autoridades estão à procura de um grupo que assaltou à mão armada, neste domingo, uma carrinha de valores na localidade de Lourel, concelho de Sintra, confirmou a TVI24 junto da Guarda Nacional Republicana. A polícia confirmou que há uma vítima mortal a registar.

O assalto ocorreu em plena luz do dia, entre as 14:00 e as 14:30, no momento em que a carrinha de valores se encontrava junto a um hipermercado em Lourel onde, constatou a nossa reportagem no local, estavam botijas de gás, pelo que a tragédia poderia ter sido ainda maior.

O grupo de indivíduos, quatro ou mais, segundo as últimas informações, consumaram o assalto e conseguiram levar o dinheiro.

Puseram-se em fuga em direção à Autoestrada 16, noutra viatura que roubaram. Efetuaram ainda outro carjacking e essa segunda viatura despistou-se mais à frente. Depois, arranjaram um terceiro carro igualmente roubado.

Uma vítima mortal

A polícia confirmou à TVI24 que há uma vítima mortal a lamentar. Trata-se de um condutor que seguia numa via em sentido contrário, na autoestrada, junto às portagens de Rio de Mouro. Terá sido atingido por um dos disparos que ocorreram aquando o terceiro carjacking do outro lado da estrada e ainda seguiu viagem por mais quilómetro e meio, até ao posto de combustível seguinte, mas chegou já sem vida ao hospital, apesar das tentativas de reanimação executadas pelos elementos da Viatura Médica de Emergência e Reanimação, que o conduziu até lá. 

Os suspeitos despistaram-se num acesso à A16 já nesse terceiro veículo e, mais tarde, saíram desta via e terão seguido em direção à zona da Terrugem, Sintra.

Assim, estão em causa vários crimes: roubo, homicídio e fuga. O especialista criminal Manuel Rodrigues explicou na TVI24 que em causa estão os crimes de roubo e homicídio, num processo que, acredita, terá de ser  investigado pela unidade nacional de terrorismo, "por se tratar de criminalidade extremamente violenta" e por ser um grupo de vários indivíduos organizados. 

"O problema é que nesta situação trata-se de um grupo de muitos assaltes e, aparentemente, a violência que foi exercida revela, para além de muito nervosismo, alguma falta de experiência"

O depoimento de uma testemunha 

À TVI24, uma testemunha que vive ao lado do supermercado onde o assalto começou adiantou que se ouviu pelo menos um tiro de caçadeira e vários de pistola e que foram usados dois carros para o assalto. E descreveu os assaltantes: "Estavam tapados, vestidos de preto e com luvas".

Neste momento, os suspeitos estão a monte, ao que tudo indica num Citroen C3.

A A16 esteve cortada nos dois sentidos entre as portagens de Linhó e Algueirão durante seis horas. Foi reaberta pelas 20:00.

PSP e GNR estão a efetuar uma caça ao homem, tendo já sido alertada a Polícia Judiciária para esta ocorrência.