O preço dos manuais escolares vai manter-se no próximo ano letivo, anunciou esta quarta-feira o Ministério da Educação, referindo-se ao acordo celebrado com a Associação Portuguesa de Editores e Livreiros (APEL).

Assim, em setembro, os preços dos livros escolares vão ficar congelados, contrariando a tendência dos últimos quatro anos em que se registaram aumentos, anunciou o Ministério da Educação (ME) em comunicado enviado às redações.

Este acordo permitirá aliviar a pressão dos encargos com educação nos orçamentos das famílias portuguesas”, defende o gabinete de imprensa do Ministério.

O acordo define ainda que no ano letivo seguinte (de 2017/2018), “a variação do preço dos manuais escolares vai seguir a taxa de inflação”.

Já no caso das famílias com crianças a frequentar o 1º ano do 1º ciclo do ensino básico, o Ministério da Educação decidiu que os manuais seriam gratuitos.