A Livraria Lello, um dos edifícios mais visitados da cidade do Porto, vai passar a cobrar uma entrada de três euros. "Não é bem assim", diz à TVI24 José Manuel Lello, um dos responsáveis da livraria. 

Segundo o responsável, os três euros são "um adiantamento dedutível na íntegra na compra de livros na livraria", o que irá ajudar a recuperar a livraria normal, uma vez que "está a ser prejudicada por causa de ser considerada um ponto turístico".

"Nós temos um fluxo de mais de cinco mil pessoas por dia e temos de controlar esse fluxo. A atividade de livraria normal está a ser prejudicada por causa de ser considerada um ponto turístico e queremos que a Livraria Lello seja uma boa livraria e um bom ponto turístico", afirmou José Maria Lello.


Reiterando que "a grande preocupação é requalificar a livraria", o responsável explicou ainda que espera que com esta medida os "visitantes passem a olhar com olhos de ver para a livraria".

"Muitos visitantes entram, olham, tiram uma selfie e vão-se embora. Não olham com olhos de ver", lamentou.


Todo o valor pago pelos visitantes será dedutível em livros e, no caso de famílias de três pessoas, a livraria permitirá aos visitantes agrupar o valor (nove euros) para a compra de um livro. "Com nove euros já é possível comprar o livro "Mensagem", de Fernando Pessoa, em russo", revelou José Manuel Lello.

Classificado como monumento de interesse público, o edifício é visitado diariamente quer por milhares de turistas quer por clientes habituais. Para proteger os visitantes regulares, a Livraria criou o cartão "Amigos da Lello" que tem um custo de 10 euros, que também será  "inteiramente dedutível na compra de qualquer livro" e dará entrada imediata durante um ano.

O novo sistema de acesso à livraria Lello entra em vigor dentro de 15 dias e todas as explicações serão dadas no Centro de Acolhimento.