O romance «O Drible», do brasileiro Sérgio Rodrigues, recebeu hoje o Grande Prémio Portugal Telecom 2014, numa cerimónia em que foi também homenageada a poesia portuguesa, com um prémio para Gastão Cruz.

«O Drible», que além do Grande Prémio foi o eleito na categoria de melhor romance, narra a história de um antigo jornalista desportivo que, aos 80 anos, já no final da vida, decide reaproximar-se do filho com quem deixara de falar há mais de 20 anos.

Pouco a pouco, o velho pai que viveu os anos dourados do futebol brasileiro vai tecendo sua reaproximação com filho, à medida que partilha com ele, durante pescarias de domingo, histórias dos grandes craques brasileiros daquele tempo.

No seu discurso de agradecimento, Sérgio Rodrigues fez um apelo por um ensino público de qualidade no Brasil, salientando que apenas quando o país tiver educação para todos poderá dar um «salto de qualidade».

O grande vencedor da noite salientou ainda a importância do prémio para a divulgação da literatura brasileira, que ele ainda classifica de pouco difundida em outros países.

«Prémios como este também são muito importantes porque a literatura brasileira, que é um pouco secreta, um pouco segredo de brasileiros, começa a ser cada vez mais traduzida », cita a Lusa.

O escritor Gonçalo M. Tavares, vencedor em duas edições do prémio Portugal Telecom, era o representante português presente entre os finalistas na categoria romance com a obra «Matteo Perdeu o Emprego».

O reconhecimento a Portugal acabou por ter lugar na categoria poesia, com o prémio ao livro «Observação de Verão Seguido de Fogo», do poeta Gastão Cruz, editado no Brasil pela Móbile Editorial.

Ao usar da palavra, Gastão Cruz rendeu homenagem a todos os poetas portugueses da sua geração, citando nomes como Jorge Sena, Carlos de Oliveira, Eugénio de Andrade, António Ramos Rosa, Rui Belo e Roberto Hélder, entre outros.

«Essa é a grande poesia à qual eu me sinto ligado. Com alguns desses autores eu convivi muito de perto e com alguns sinto grandes afinidades, portanto, este prémio é também para toda essa poesia», afirmou.

Na categoria contos e crónicas, o prémio foi para o brasileiro Everardo Norões, com o livro «Entre Moscas».

Nascido em Crato, no estado do Ceará, no nordeste brasileiro, o autor já viveu em França, Argélia e Moçambique.

Cada vencedor recebeu um prémio pecuniário de 50 mil reais (cerca de 15,6 mil euros).

Na edição deste ano estavam inscritas 489 obras de autores de língua portuguesa publicadas no Brasil em 2013, dos quais 194 romances, 172 de poesia e 123 livros de contos e crónicas.

A organização destacou um aumento no número de autores portugueses que concorreram nesta edição - foram 12 obras de portugueses, uma angolana e uma guineense - apontando um crescimento de publicações de autores lusófonos no Brasil.

Em 2013, o prémio foi para o professor de literatura brasileiro José Luiz Passos, com o livro «O Sonâmbulo Amador», depois de o galardão ter sido do português Valter Hugo Mãe, em 2012.