Sete pessoas foram acusadas de um total de 67 crimes de lenocínio, auxílio à imigração ilegal e falsificação de documentos que praticavam a partir de uma casa em Lisboa, revelou hoje o Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF).

O despacho de acusação do Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) de Lisboa imputa a sete arguidos um total de 67 crimes, «entre os quais lenocínio, lenocínio de menores agravado, auxílio à imigração ilegal, falsificação de documentos, falsificação agravada de documentos e detenção de arma proibida», realça o SEF.

De acordo com o SEF, que investigou o processo, as atividades criminosas ocorriam numa casa em Lisboa, na zona do Areeiro, e a atividade criminosa era gerida por um casal.

No âmbito da investigação, o Serviço de Estrangeiros e Fronteiras realizou, em abril de 2012, diversas buscas domiciliárias e a uma empresa de contabilidade, tendo então apreendido duas viaturas e detido os dois principais suspeitos.