Os quatro detidos suspeitos da prática de crimes contra o Serviço Nacional de Saúde começaram a ser ouvidos esta quarta-feira no Tribunal Central de Instrução Criminal (TCIC) em Lisboa, prevendo-se que o interrogatório continue na quinta-feira, disse fonte do Tribunal.

Trata-se de quatro homens suspeitos da prática de crimes de falsificação de documento, burla qualificada e tráfico de estupefacientes que foram detidos na terça-feira pela Polícia Judiciária no âmbito de um inquérito dirigido pelo Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP), refere um comunicado da PJ.

A operação, que envolveu onze buscas domiciliárias e não domiciliárias e que resultou na detenção de quatro homens ligados a várias atividades do ramo da saúde, decorreu na zona da Grande Lisboa, acrescenta o documento.

Segundo o comunicado, a atividade criminosa remonta ao início de 2012 e consistia na apresentação de receitas médicas falsas relativas a medicamentos com elevadas taxas de comparticipação, assim como na prescrição de opiáceos utilizados como analgésicos estupefaciente e sujeito a prescrição médica, método através do qual obtinham «importantes vantagens financeiras em prejuízo do erário público».

Foi igualmente apreendida uma unidade de produção de canábis.