A mochila que a polícia fez explodir durante a madrugada desta segunda-feira no Terreiro do Paço, em Lisboa, "não continha nada no seu interior", disse à Lusa uma fonte da PSP.

A PSP procedeu à detonação da mochila depois de evacuar a praça onde se localizam ministérios como o das Finanças e da Agricultura.

Uma fonte da PSP de Lisboa explicou de noite à Lusa que o alerta partiu de cidadãos que passavam no local e chamaram a atenção para a mochila “junto à estátua, no centro da Praça do Comércio”.

A Polícia Municipal informou então o Centro de Comando e Controlo da PSP, que, após uma primeira triagem inconclusiva à mochila, ativou o protocolo para este tipo de situações, acionando equipas do centro de inativação de engenhos explosivos e do grupo operacional cinotécnico.

Depois de efetuarem algumas manobras, não conseguiram chegar a uma conclusão em concreto do que se trataria aquela mochila, o que levou a que, por volta das 00:15 procedêssemos à detonação controlada daquela mochila”, disse a mesma fonte.

Uma vez que as autoridades ainda estariam a “tentar perceber o que é que a mesma teria lá dentro”, foi tomada a medida de detonação para garantir que o objeto era removido em segurança.

O perímetro de segurança aplicado ao local foi levantado às 02:45. A circulação na praça e arredores ficou totalmente normalizada.