As alegações da defesa no âmbito do processo do grupo de motociclistas Hells Angels foram interrompidas esta segunda-feira  cerca das 20:00, devendo ser retomadas às 09:30 de terça feira, informou fonte do Tribunal de Instrução Criminal (TIC) de Lisboa.

Segundo a mesma fonte, os trabalhos foram interrompidos quando faltam as alegações de sete dos 58 arguidos no processo, estando ainda em aberto a data para a divulgação das medidas de coação.

A fonte do TIC explicou que todos os arguidos terão de estar presentes no tribunal quando a juíza Maria Antónia Andrade anunciar as medidas de coação.

Medidas de coação na 4.ª feira

José Carlos Cardoso, advogado de 20 arguidos, disse aos jornalistas, à saída do TIC, que as medidas de coação só deverão ser conhecidas na quarta-feira, uma vez que ainda faltam sete alegações de defesa.

Confrontado com o facto de o Ministério Público (MP) ter proposto a aplicação de prisão preventiva para uma grande maioria dos arguidos, o mesmo advogado considerou que a "promoção do MP tem várias fragilidades", as quais "se prendem com a questão da prova e também com a indicação concreta dos factos".

"Isso foi alegado e foi unânime entre os colegas (da defesa)", disse, observando que agora só resta esperar pela decisão da juíza de instrução criminal Maria Antónia Andrade.

O advogado referiu que o inquérito do caso Hells Angels "começou com uma enorme dimensão, já se esvaziou e vai continuar a esvaziar-se internamente", sendo isso "inteiramente percetível".

O Ministério Público pediu prisão preventiva para 54 dos 58 detidos em Portugal, segundo um dos advogados de defesa.

No entanto, do grupo de 54 detidos, quatro poderão passar a prisão domiciliária, dependendo de um relatório do Instituto de Reinserção Social (IRS), que pertence aos serviços prisionais.

Para os restantes quatro arguidos, o Ministério Público pediu apresentações diárias às autoridades.

Um 59.º arguido encontra-se detido na Alemanha.

Os interrogatórios demoraram três dias e terminaram no domingo no TIC.

O processo envolve acusações de associação criminosa, tentativa de homicídio, roubo, ofensa à integridade física e tráfico de droga.

A investigação do caso dos Hells Angels foi elaborada pelo Departamento Central de Investigação e Ação Penal e pela Unidade Nacional Contraterrorismo da Polícia Judiciária e os mandados de busca e de detenção foram executados na quarta-feira passada.

O processo envolve acusações de associação criminosa, tentativa de homicídio, roubo, ofensa à integridade física e tráfico de droga.

A investigação do caso dos Hells Angels foi elaborada pelo Departamento Central de Investigação e Ação Penal e pela Unidade Nacional Contraterrorismo da Polícia Judiciária e os mandados de busca e de detenção foram executados na quarta-feira passada.