A Comissão Coordenadora Permanente (CCP) dos Sindicatos e Associações dos Profissionais das Forças e Serviços de Segurança marcou hoje uma manifestação nacional para 06 de março, contra os cortes nos vencimentos.

A realização de uma manifestação nacional de todas os profissionais das forças e serviços de segurança foi decidida durante a reunião de hoje da CCP, que congrega os sindicatos mais representativos da GNR, PSP, ASAE, SEF, Guarda Prisional e Polícia Marítima.

A manifestação nacional vai realizar-se em Lisboa, mas os dirigentes sindicais ainda não decidiram o local do protesto.

Na origem da manifestação está «a redução dos vencimentos, aumento da percentagem para os subsistemas de saúde e continuidade dos congelamentos das progressões», refere uma nota da estrutura, sublinhando que estes cortes «estão a criar um nível de desmotivação fora do limite do razoável».

Na reunião, os membros da CCP fizeram um ponto da situação sobre as respostas do Governo às reivindicações exigidas pelos polícias na última manifestação, realizada a 21 de novembro, e que terminou com a invasão da escadaria da Assembleia da República, tendo concluído que «as dificuldades e consequências» previstas para 2014 são «agora uma realidade».

Os profissionais das forças e serviços de segurança referem também que continuam abertos ao diálogo com o Governo, mas este «não pode deixar de responder às expectativas dos polícias e da expressão da sua revolta em relação às medidas de que têm sido alvo nos últimos anos e que colocam em causa a sua dignidade».