O elevador do Arco da Rua Augusta, em Lisboa, vai ser aberto ao público a 09 de agosto, disse esta terça-feira à agência Lusa fonte da Associação de Turismo de Lisboa, que gere a infraestrutura.

A viagem no elevador, que dá acesso a um miradouro, vai ser paga, mas a fonte não quis adiantar valores por «não estarem ainda definidos».

Em obras há vários meses, aquele elevador é também consequência do «acordo global» entre a câmara de Lisboa e o Governo sobre vários assuntos que estavam pendentes há décadas, nomeadamente os terrenos do aeroporto e do Centro Cultural de Belém (CCB).

Neste acordo foi também decidido reafetar ao Supremo Tribunal de Justiça (STJ) as duas salas da ala norte do Terreiro do Paço, que foram afetas à Câmara de Lisboa com a extinção da Cidade Frente Tejo (projeto de reabilitação urbana do Terreiro do Paço).

Em contrapartida, foi cedido ao município, por 50 anos, o espaço necessário à instalação e à exploração do elevador de acesso ao Arco da Rua Augusta, que será «um novo polo de atração turística muito importante» para a cidade, segundo o presidente António Costa.

Na página de internet da câmara municipal, pode ler-se que «para a concretização desta obra, o espaço do piso térreo, até agora ocupado pela farmácia da Associação de Socorros Mútuos dos Empregados do Estado, vai ser libertado para a utilização do elevador e o restante espaço cedido ao STJ como permuta dos espaços cedidos à câmara nos pisos superiores».

O elevador dá acesso a um «amplo terraço» e vai devolver à cidade «um miradouro extraordinário», acrescentam no site.