A discoteca Urban Beach, em Lisboa, reabre esta sexta-feira com novas medidas de segurança implementadas, depois de o ministro da Administração Interna ter autorizado o espaço noturno a funcionar, após agressões por seguranças.

O Urban Beach reabre hoje, mas será uma reabertura pequena, é um dia essencialmente para testar e verificar todos os equipamentos e medidas de segurança que foram tomadas. No sábado é que irá decorrer a grande reabertura do espaço”, disse à Lusa fonte oficial do grupo K.

O ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, autorizou a reabertura da discoteca Urban Beach, em Lisboa, que estava encerrada desde novembro de 2017 por questões de segurança e episódios de violência e agressões a clientes e transeutes por parte dos seguranças.

Segundo a fonte do Ministério da Administração Interna (MAI), o ministro levantou na quinta-feira “a medida de polícia de encerramento” à discoteca, depois de a PSP e a Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC) terem informado a tutela que estavam reunidas as condições de segurança.

O administrador do grupo K, Paulo Dâmaso, mostrou-se feliz com a autorização para a reabertura da discoteca Urban Beach, junto a Santos, em Lisboa, referindo que o espaço adotou várias medidas de segurança.

Foram implementadas várias medidas, como o aumento do número de câmaras, que passou de 62 para 95. Temos também um novo sistema de tratamento de imagem e uma nova empresa de segurança, que tem estado em formação, para a reabertura do Urban Beach”, frisou.

Paulo Dâmaso disse ainda que também foram tomadas outras medidas, que passam pela colocação de um maior número de detetores de incêndio no espaço e uma nova porta central de evacuação da discoteca.

O Urban Becah vai contar também com um piquete do Regimento de Sapadores Bombeiros de Lisboa em permanência no local, para além de outras medidas que foram tomadas. Arrisco a dizer que é das casas mais seguras do mundo”, concluiu.

Eduardo Cabrita determinou o encerrado da discoteca por seis meses, na madrugada de 03 de novembro de 2017, após um episódio de agressões divulgado num vídeo e a existência de 38 queixas apresentadas à PSP no ano passado por “alegadas práticas violentas ou atos de natureza discriminatória ou racista”.

A 2 de novembro foi divulgado um vídeo onde se vê seguranças da discoteca da zona de Santos a agredirem violentamente dois jovens que aparentemente estavam indefesos e não demonstravam qualquer resistência.

Na sequência dos incidentes, dois dos seguranças envolvidos nas agressões aos jovens, indiciados por tentativa de homicídio qualificado na forma tentada, estão em prisão domiciliária.

O grupo K, proprietário da discoteca Urban Beach, chegou a interpor uma ação em tribunal para suspender a decisão do ministro de encerramento, mas tal foi rejeitada.