A Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo (ARSLVT) disse esta quarta-feira que, se o nível do plano de contingência devido ao calor subir para vermelho, vão ser ativados os abrigos temporários para pessoas vulneráveis.

Ontem [terça-feira], na região de Lisboa e Vale do Tejo não havia necessidade de subir o nível [para vermelho], mas sabemos que até ao final da semana, até domingo, as previsões são de um aumento muito súbito das temperaturas máximas, portanto é provável que isso aconteça”, avançou à Lusa o delegado regional de saúde adjunto da ARSLVT, Nuno Lopes.

Ativo entre 01 de maio e 30 de setembro, o plano de contingência de saúde sazonal módulo verão da ARSLVT encontra-se no nível amarelo, que é o nível intermédio do sistema de cores de avaliação diária das temperaturas observadas e previstas para os dias seguintes.

Na região de Lisboa e Vale do Tejo não estamos no pior dos cenários, estamos ainda num nível intermédio - amarelo -, que já prevê todo o conhecimento relativamente aos abrigos que, numa situação de calor extremo, serão ativados” para proteger a saúde das pessoas mais vulneráveis, nomeadamente crianças, idosos, pessoas que vivem isoladas e pessoas que têm dificuldades de mobilidade, afirmou o responsável da ARSLVT.

Abrigos temporários

Assim, se o nível subir para vermelho, “são ativados os abrigos temporários, que irão receber as pessoas vulneráveis, que podem ser espaços muito diferentes”, sobretudo instituições que têm ar condicionado e que têm condições para receber as pessoas, indicou Nuno Lopes, explicando que o trabalho de identificação das pessoas vulneráveis e dos locais onde se encontram já está realizado, designadamente jardins-de-infância e lares da terceira idade.

Essa listagem está em carteira quando for necessário intervir”, reforçou o delegado regional de saúde adjunto da ARSLVT, adiantando que a resposta é assegurada a nível local por “equipas muito vastas”, com conjunto de entidades de várias áreas, desde a Proteção Civil às organizações comunitárias.

Estando ainda no nível amarelo, o plano de contingência da ARSLVT prevê a divulgação de medidas de proteção, questões ligadas ao contacto e à vigilância da saúde de pessoas vulneráveis.

Para a restante população, há todo um conjunto de medidas de educação para a saúde que permitem transmitir mensagens para as pessoas se protegerem”, informou o responsável da ARSLVT.

Os avisos vermelhos por causa do calor vão estender-se até ao início do dia de sábado em nove distritos do país, segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

De acordo com o IPMA, a temperatura vai subir de forma acentuada em Portugal continental a partir de hoje, mantendo-se muito elevada até ao fim de semana, com os avisos laranja a passarem a vermelhos (o nível mais grave) a partir de quinta-feira e até às 05:59 de sábado.

Os distritos abrangidos pelo aviso vermelho por causa da persistência de valores elevados da temperatura máxima são Bragança, Évora, Guarda, Vila Real, Santarém, Beja, Castelo Branco, Portalegre e Guarda.

O IPMA adverte que as temperaturas máximas vão estar "muito acima dos valores normais para a época" e podem atingir "máximos absolutos em vários locais", com máximas a rondarem os 45ºC e as mínimas a aproximarem-se dos 30ºC.