Dois linces ibéricos foram libertados este sábado no Parque Natural do Guadiana, em Mértola, iniciando o processo de integração da natureza, revelou o Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF).

De acordo com a Lusa, a fêmea Kayakweru, nascida em Silves, e o macho Kempo, proveniente de Doñana (Espanha), foram colocados naquele parque, num cercado com dois hectares de área e que servirá para se adaptarem à vida no habitat natural.

A entrada destes dois felinos naquele espaço acontece dias depois de terem sido abertas as portas do cercado aos primeiros linces ibéricos - Katmandu e Jacarandá - criados em cativeiro e que estão já a viver livres na natureza, embora monitorizados pelo ICNF.

A colocação dos linces ibéricos naquele cercado permite uma transição da vida nos centros reprodução para a vida na natureza. O período de adaptação será no mínimo de 20 dias, no entanto, «a sua duração final estará sempre dependente do comportamento dos animais no cercado», explica o ICNF em comunicado.

Para o instituto, «esta nova reintrodução de lince ibérico é mais um passo no compromisso nacional e ibérico para a inversão do risco de extinção desta espécie no seu habitat natural».