A Direção-geral da Saúde revelou esta terça-feira que há um caso de legionella num doente em Luanda, Angola, e outro em Lima, Peru, ambos em pessoas que estiveram em Vila Franca de Xira, onde há um surto desta doença.

À agência Lusa, o diretor-geral de Saúde, Francisco George, confirmou que as pessoas adoeceram já no seu país de origem, depois de terem estado na zona de Vila Franca de Xira.

Já o ministro da Saúde confirmou os dois casos fora de Portugal e afirmou, em conferência de imprensa após uma inauguração no Hospital dos Lusíadas em Lisboa que este surto «se trata de um caso concentrado em Vila Franca de Xira, que não afeta as crianças e que foi contido nas primeiras 48 horas».

Paulo Macedo afirmou ainda que o surto de legionella está a desacelerar, apesar de prever que ainda surjam novos casos. Segundo o ministro, no final da semana haverá também as primeiras altas médicas.

Sobre o foco de legionella na empresa Adubos de Portugal, Paulo Macedo diz que vão ser ainda necessários mais alguns dias para confirmar se as torres de refrigeração da empresa adubos de Portugal estão na origem do surto de legionella. A TVI24 sabe que, desde as 16:00, cinco inspetores da IGAMAOT se encontram nas instalações da ADP para continuar a investigação.

No entanto, confirmou que os primeiros exames identificaram a presença da bactéria nas instalações daquela empresa, acrescentando que ainda é preciso perceber se se trata do mesmo tipo de legionella nos pacientes internados.

O ministro aproveitou, ainda, para elogiar o trabalho dos profissionais de saúde dos hospitais encarregues de tratar doentes com legionella, que não deixaram que outros serviços fossem interrompidos por causa do surto. Paulo Macedo diz que «ainda ontem» houve uma ameaça de ébola no hospital Curry Cabral, que não deixou de receber a atenção devida, por causa da legionella.

Até ao momento, o surto de legionella provocou 278 casos e cinco mortes só na região de Lisboa e Vale do Tejo, havendo casos em hospitais de outras zonas do país, mas todos ligados ao surto de Vila Franca de Xira. Há ainda um homem de 49 anos que está internado no Hospital Distrital da Figueira da Foz. O novo caso está relacionado com o surto em Vila Franca de Xira.

Legionella: o ponto da situação

Um novo balanço com a totalidade de casos será ainda divulgado esta terça-feira pela Direção-geral da Saúde, segundo Francisco George.

O presidente do Instituto Português do Mar e da Atmosfera disse esta terça-feira que a mudança das condições meteorológicas dos últimos dias, com chuva e descida das temperaturas, «provavelmente alterou» o desenvolvimento do surto de legionella, que prefere temperaturas tépidas.