O antigo ministro Miguel Macedo foi homenageado, este domingo, pela Liga dos Bombeiros Portugueses e considerado “o melhor ministro da Administração Interna para os bombeiros desde o 25 de Abril”.

As palavras são do presidente da Liga, Jaime Marta Soares, que afirmou que “outros também passaram, tiveram sensibilidade, mas nenhum à dimensão de Miguel Macedo, não só por aquilo que ele resolvia de responsabilidade do seu próprio ministério, mas das portas que ajudava a abrir nos outros ministérios”.

Miguel Macedo foi hoje distinguido com a Fénix de Honra da Liga dos Bombeiros Portugueses durante as cerimónias do Dia do Bombeiros Português, que decorreram em Bragança.

Na cerimónia esteve presente a sucessora e atual ministra da Administração Interna, Anabela Rodrigues, que não se referiu ao antecessor durante o discurso posterior à entrega do prémio que Miguel Macedo recebeu das mãos do presidente da Liga, Jaime Marta Soares.

Durante o discurso, o dirigente enalteceu o papel do antigo ministro de quem os bombeiros sempre receberam “as mais significativas provas de recetividade, apoio e colaboração, sendo que este ato de agradecimento é da mais elementar justiça”.

“A sua sensibilidade perante os nossos problemas foi determinante”, afirmou, concretizando que “num dos momentos mais complexos da vida dos bombeiros portugueses motivado pelos efeitos da crise económica e da austeridade, apesar de tudo foi possível que as associações e os corpos de bombeiros não tivessem conhecido uma realidade mais dura, mais complexa e muito mais difícil”.


Jaime Marta Soares sublinhou que os bombeiros não esquecerão nunca que “foi por influência do ministro Miguel Macedo e da equipa do seu ministério em comunhão com a Liga que foram dados passos importantes, consequentes e regeneradores, e com ele encetado um caminho de reformas como há muito não se via nos bombeiros portugueses”.

O presidente da Liga recordou a atualização dos valores constantes do programa permanente de cooperação (PPC), a implementação da vigilância médica, a atualização dos valores de seguros de acidentes e despesas de tratamento, o início do processo de negociações tendente à elaboração de uma lei de financiamento das associações humanitárias, a estabilização no setor de transporte doentes não urgentes ou a reestruturação da Escola Nacional de Bombeiros.

“Nunca, mas nunca lhe seremos suficientemente gratos. Deixa-nos muitas e gratas recordações pelo ser humano que é, pela sua competência, pera sua dedicação à causa pública e como homem de Estado que sempre foi e continua a ser”, concluiu.


Na cerimónia foi também entregue o Prémio Bombeiro de Mérito 2014 ao jovem voluntário de 22 anos Pedro Pimenta, da corporação de Famalicão, que salvou dois colegas das chamas num incêndio urbano quando estava há apenas seis meses ao serviço.

Entre outras distinções e menções honrosas, o Dia do Bombeiros Português serviu também para entregar onze viaturas novas a corporações de vários pontos do país que perderam veículos nos incêndios do verão de 2013.

Foram ainda entregues simbolicamente 18 rádios SIRESP portáteis representativos dos mais de 1.700 que vão chegar a corpos de bombeiros de todo o país e facilitar as comunicações e localização no terreno.