A Polícia Marítima (PM) portuguesa, em missão na ilha grega de Lesbos, resgatou na segunda-feira um grupo de 31 migrantes afegãos, sírios e iraquianos, elevando para 56 o número de imigrantes resgatados em apenas dois dias, informou hoje a PM.

Segundo adianta a Polícia Marítima, do grupo de 31 migrantes agora resgastados faziam parte cinco crianças e oito mulheres.

O grupo estava à deriva num frágil bote de borracha no Mar Egeu, a efetuar a travessia entre a costa da Turquia e da Grécia.

A presença do bote foi detetada a partir de terra pela viatura radar da Polícia Marítima, que de imediato passou as coordenadas para a equipa que se encontrava em patrulha no mar. Esta dirigiu-se para o local, tendo conseguido detetar os migrantes.

A Polícia Marítima retirou, de seguida, todos os migrantes do bote, passando-os para a sua embarcação, onde foram transportados para terra, em segurança, e entregues às autoridades gregas.

No dia anterior (domingo), a Polícia Marítima havia já resgatado do mar Egeu 25 afegãos, incluindo quatro crianças e 11 mulheres.

Em missão desde 01 de maio de 2017, integrada na missão Poseidon 2017, sob égide da agência europeia Frontex, a Polícia Marítima já efetuou 751 horas de navegação e apoiou e resgatou 594 migrantes que arriscaram a própria vida para atravessar o Mar Egeu, entre a Costa da Turquia e da Grécia.

A Polícia Marítima encontra-se em missão de apoio à guarda-costeira grega para controlar e vigiar as fronteiras marítimas gregas e externas da União Europeia, no combate ao crime transfronteiriço.