A Polícia Marítima (PM) portuguesa resgatou 3.494 imigrantes e refugiados, durante os 11 meses de missão junto da ilha grega de Lesbos, integrada na missão "Frontex Poseidon Sea 2016" de controlo das fronteiras da União Europeia.

Segundo dados hoje divulgados pela Autoridade Marítima Nacional, a equipa da PM resgatou, desde 01 de outubro de 2015, em segurança e para terra, 3.494 imigrantes e refugiados, dos quais 864 bebés e crianças, que corriam risco de vida, e 758 mulheres.

Durante a missão, a PM portuguesa prestou apoio de primeiros socorros a 20 imigrantes e refugiados, tendo-lhes administrado oxigénio e, em quatro dos casos, manobras de suporte básico de vida.

A equipa apoiou igualmente imigrantes e refugiados com mantas térmicas, águas e bolachas, sempre que necessário.

De 01 de outubro de 2015 a 31 de agosto de 2016, a equipa realizou um total de 90 missões de busca e salvamento, deteve cinco facilitadores, recuperou cinco pessoas sem vida e apoiou mais de dez mil imigrantes/refugiados.

No total, efetuou 11.700 milhas náuticas e cumpriu 2031 horas de navegação.

Desde 28 de março que está também a operar uma Viatura de Vigilância Costeira (VVC), para reforçar a capacidade operacional da PM, ao garantir a vigilância costeira da área de operações em simultâneo e em coordenação com as embarcações TEJO e ARADE. A VVC efetuou já 946 horas de missão e controlou 1601 alvos.

A missão da PM, de controlo e vigilância das fronteiras marítimas gregas, tem essencialmente um carácter de busca e salvamento e de ajuda humanitária aos imigrantes e refugiados que diariamente cruzam as águas do mar Egeu, realizando a travessia em a Turquia e a Ilha de Lesbos.

A equipa da PM é composta por 11 Agentes da PM, 1 técnico para o apoio e a manutenção das embarcações e um técnico para a manutenção da componente elétrica e eletrónica da VVC.

A PM vai manter o apoio à guarda costeira grega até 30 de setembro próximo.