“O barulho que fazemos é para quebrar o silêncio” sobre a resolução dos problemas dos lesados, explicou o vice-presidente da associação.