O Ministério Público acusou um casal dos crimes de tráfico de pessoas, lenocínio e auxílio à imigração ilegal, praticados no distrito de Braga, informou o Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF).

Em comunicado, o SEF acrescenta que o casal, estrangeiro, “explorava vários apartamentos destinados ao fomento e facilitação da prática da prostituição, recorrendo à angariação de mulheres estrangeiras, algumas com recurso ao logro no seu país de origem”.

Em outubro de 2014, o SEF havia já executado dois mandados judiciais de busca em habitações e numa viatura, procedendo à apreensão de “volumosa” documentação relacionada com os crimes em investigação, material informático, telemóveis e numerário.

Segundo o SEF, a investigação, que durou cerca de oito meses, permitiu apurar os “elevados lucros” que os arguidos conseguiam com aquela atividade.

No mesmo processo, outros três cidadãos (um estrangeiro e dois portugueses) foram igualmente acusados dos crimes de lenocínio e auxílio à imigração ilegal, “pela colaboração e apoio” que proporcionavam ao referido casal no desenvolvimento da atividade ilícita, refere a Lusa.