O homem suspeito de ter matado a ex-companheira na segunda-feira em Leiria vai aguardar julgamento em prisão preventiva, disse hoje à agência Lusa fonte da Comarca de Leiria.

 

«Dos autos resultam fortemente indiciados factos que integram a prática pelo arguido de um crime de violência doméstica, um crime de homicídio qualificado e de um crime de detenção de arma proibida, tendo sido aplicada ao arguido a medida de coação de prisão preventiva», informou a mesma fonte.

 

O homem foi presente esta quarta-feira à tarde a um juiz de instrução criminal no Tribunal Judicial de Leiria, onde, após a sua chegada, acorreram ao edifício familiares da vítima, gerando-se alguma confusão. O vidro da porta principal do edifício foi destruído, constatou a Lusa no local.

 

A juíza-presidente da Comarca de Leiria, Patrícia Costa, afirmou que o órgão de gestão da comarca iria participar ao Ministério Público da situação, assim como informar a Direção-Geral de Administração da Justiça.

 

A PSP está a investigar, mas não constituiu ninguém arguido, referiu fonte das relações públicas do Comando Distrital de Leiria desta polícia.

 

Na segunda-feira, uma mulher foi morta a tiro no prédio onde morava, na rua Álvaro Pires de Miranda, em Marrazes, Leiria.

 

O suspeito do homicídio entregou-se na madrugada do dia seguinte à PSP, em Lisboa.