A Estradas de Portugal vai analisar a proposta de colocação de separador central em algumas zonas do Itinerário Complementar 2 (IC2), que atravessa Leiria, disse à agência Lusa a diretora de comunicação da empresa.

 

«Vamos analisar a proposta de colocação de separador central para algumas zonas do IC2, que atravessa Leiria, proposta que foi feita por uma junta de freguesia», declarou Rosário Rossio, após uma reunião com a Câmara de Leiria, que juntou o vereador com o pelouro das Obras Municipais, autarcas das freguesias do concelho atravessadas pela via, PSP e GNR.

 

Rosário Rossio salientou que «a análise será feita do ponto de vista técnico» com a Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária e a GNR, «uma vez que foram identificadas situações de velocidade excessiva».

 

A responsável adiantou que na reunião outra das questões suscitadas foram os dois cruzamentos do IC2 na Boa Vista, «nomeadamente a travessia de peões, situação que vai também ser analisada».

 

«A Estradas de Portugal tem um compromisso em relação à redução da sinistralidade e aumento da segurança rodoviária, para as quais vai encontrar as melhores soluções técnicas», assegurou.

 

Já o vereador Lino Pereira referiu que no encontro «foram discutidos todos os pontos críticos do IC2», salientando ter ficado «a promessa de que as propostas seriam avaliadas e incluídas no projeto de beneficiação que a Estradas de Portugal possui para a via».

 

Uma nova reunião está agendada para novembro, acrescentou o vereador.

 

Em menos de duas semanas, morreram duas pessoas no troço do IC2 em Leiria. O primeiro acidente, no dia 06, vitimou uma estudante, na Boa Vista, e no dia 17 uma lojista morreu naquela via, em Marrazes.

 

Os acidentes, que estão a ser investigados pela GNR, terão ocorrido quando viaturas entraram em despiste e colidiram com veículos que circulavam na faixa contrária, informou fonte desta força de segurança.

 

Na sequência do último acidente, corre na Internet uma petição pública na qual os subscritores pedem separadores no IC2 e, no domingo, duas mil pessoas participaram numa marcha lenta na via num protesto marcado pelo Facebook.

 

Frederico Sousa, do Movimento pelo Separador Central no IC2, disse à Lusa que «é um bom passo» a análise da proposta, avisando que o movimento «não vai adormecer» e, se for necessário, «haverá uma marcha lenta até Lisboa».

 

Na terça-feira, a Câmara de Leiria aprovou, por unanimidade, uma moção que reivindica à Estradas de Portugal a instalação de um separador central.

 

Esta quarta-feira, em comunicado, a Comissão Política Distrital do PSD, que se reuniu com a empresa, defendeu «a necessidade de construção de um separador em zonas mais perigosas do IC2».

 

«Foi-nos transmitido o estado dos projetos de obras em várias estradas, nomeadamente no IC2, a norte de Leiria, para onde se projeta um separador e outras intervenções urgentes, como duas rotundas e semáforos», lê-se no comunicado, que adianta que o partido solicitou «o prolongamento do separador já previsto e a maior urgência nas obras».