O espaço que alberga as termas de Monte Real, no concelho de Leiria, inundou na terça-feira à noite, provocando «muitos estragos» que ainda não estão quantificados, disse à agência Lusa fonte da empresa.

«A parte do SPA e termas inundou devido ao rebentamento da margem do rio Lis, provocando muitos estragos que ainda estão por contabilizar, porque, por questões de segurança, as pessoas não podem aceder ao seu interior», disse a mesma fonte.

Esta responsável esclareceu que quando o espaço foi requalificado, em 2009, «houve a preocupação de o executar acima da cota do nível máximo de cheias registado naquela zona», mas que «foi ultrapassado esta noite», provocando danos.

«Com exceção do SPA e termas, toda a unidade hoteleira está a funcionar», garantiu a mesma fonte, nada adiantando sobre a previsão de reabertura do espaço inundado.

À agência Lusa, o comandante municipal da proteção civil, Artur Figueiredo, adiantou que «a mota do rio, junto ao açude da Carreira, cedeu, tendo provocado uma inundação da margem esquerda do rio».

Ao local deslocaram-se 15 bombeiros, apoiados por cinco viaturas, dos Municipais e Voluntários de Leiria e, ainda, da corporação de Ortigosa.

Infiltrações na Casa das Artes de Miranda do Corvo

A construtora da Casa das Artes de Miranda do Corvo, inaugurada em agosto de 2013, disse à agência Lusa que existe um problema na cobertura do edifício que motivou as infiltrações de água verificadas no seu interior.

O município de Miranda do Corvo anunciou na terça-feira à noite o cancelamento dos próximos espetáculos, devido a infiltrações de água no edifício.

A Câmara «viu-se obrigada a encerrar a Casa das Artes e a cancelar os espetáculos agendados, devido à falta de condições mínimas de salubridade e conforto», explicou um comunicado da autarquia.

«Durante os últimos dias, observou-se a entrada generalizada de águas pluviais junto ao fosso de orquestra, assim como no foyer, paredes e vãos de acesso exteriores, que impede o funcionamento normal da sala de espetáculos», referia a nota.

O município informou ainda que notificou a empresa responsável pela construção «para proceder a todas as reparações no mais breve espaço de tempo possível».

Inaugurada em agosto último, a Casa das Artes de Miranda do Corvo representou um investimento superior a 2,66 milhões de euros, tendo sido financiada em 85% pelo Operacional Regional do Centro 2007-2013 (fundos comunitários), através da medida «Equipamentos para a Coesão».