A Adubos de Portugal afirma em comunicado que «tem cumprido todas as obrigações impostas pela lei» e «aguarda os resultados com a consciência de que cumpriu com diligência» as orientações no tratamento de águas.

A empresa Adubos de Portugal, empresa relacionada com o foco de legionella no concelho de Vila Franca de Xira, está há vários dias sem laborar. Esta quarta-feira, no final da reunião com os trabalhadores, emitiu um comunicado.
«A ADP tem cooperado desde o início com as autoridades», é dito logo no primeiro ponto.

A empresa acrescenta que «por iniciativa própria, a ADP parou as suas instalações fabris quando tomou conhecimento de que um seu funcionário tinha sido contaminado com a bactéria legionella».

De seguida, a fábrica defende-se que «tem cumprido todas as obrigações impostas por lei» e que «tem sido submetida a inspeções regulares pelas autoridades observando, com rigor, todas as recomendações por estas feitas».

Por isso, a ADP diz que «aguarda os resultados das investigações em curso com a consciência de que cumpriu com diligência as boas práticas em matéria de tratamento de águas».

A empresa deixa por último uma palavra aos 400 trabalhadores da fábrica, desejando o seu regresso à atividade «em segurança» o mais breve possível.

Os trabalhadores da Adubos de Portugal anunciaram também esta quarta-feira um plenário na quinta, pelas 15:00.
O surto de legionella, no concelho de Vila Franca de Xira, onde fica instalado a fábrica Adubos de Portugal, atinge, segundo os números oficiais da DGS, 302 pessoas e cinco já morreram vítimas da bactéria.