O Ministério Público deduziu acusação contra um homem pelos crimes de violência doméstica, homicídio qualificado na forma tentada e violação de domicílio, alegadamente cometidos em 03 de novembro passado, em Lagos, anunciou esta sexta-feira Procuradoria de Faro.

O alegado autor dos crimes, de 46 anos, está em prisão preventiva desde 04 de novembro, data em que foi detido por suspeita de ter praticado estes crimes contra uma antiga companheira e o padrasto desta, referiu a Procuradoria da República da Comarca de Faro em comunicado.

A acusação argumenta que o arguido viveu cinco anos com a companheira em Santiago do Cacém (distrito de Setúbal) e durante esse período sujeitou-a “repetidamente” a injúrias e ameaças de morte, “além de a proibir de contactar frequentemente com a sua mãe e o padrasto e de sair com amigas”.

O Ministério Público acredita que a mulher quis pôr fim à relação e deixou o arguido em novembro passado, viajando para Lagos (distrito de Faro) para viver com a mãe e o padrasto, mas o arguido encontrou-a dias depois e alegadamente cometeu os crimes que o levam agora a julgamento.

[…] No dia 03 de novembro, o arguido, não aceitando o fim da relação, foi à referida casa, onde, exibindo uma faca, entrou sem autorização e agarrou na sua ex-companheira para a obrigar a ir consigo. Perante a oposição do padrasto da ofendida, o arguido desferiu naquele dois golpes com a faca, que o obrigaram a ser assistido imediatamente no hospital de Portimão”, alega o Ministério Público.

A Procuradoria da Comarca de Faro referiu ainda que a acusação foi deduzida com base numa investigação conduzida pelo Ministério Público da secção de Lagos do Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) de Faro.