O ministro da Saúde disse esta quarta-feira, em Sintra, que as autoridades de saúde acionaram medidas "profiláticas e preventivas" para resolver os casos de 21 doentes internados no Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra (CHUC) com a bactéria multirresistente klebsiella pneumoniae.

"É uma situação importante, naturalmente ocorre em ambiente hospitalar, são episódios que têm alguma frequência ao longo do tempo e as autoridades de saúde e o próprio hospital estão a acionar as medidas, digamos, profiláticas e preventivas que tenderão a corrigir a situação", disse o ministro Adalberto Campos Fernandes.

O ministro da saúde, que falava no decurso de uma visita à Câmara de Sintra, admitiu que os hospitais "terão sempre de ter mais meios financeiros em todo o tempo, não hoje, daqui a cinco anos ou daqui a 10 anos, mas têm também de ter melhor organização e melhor gestão".

"Eu faço um apelo muito grande em que se invista tanto nos recursos financeiros como se invista na qualidade das competências de gestão e competências de direção", frisou o governante.

O CHUC detectou a bactéria klebsiella pneumoniae, responsável pelo surto do ano passado no Hospital de Gaia, em 21 doentes internados na instituição, confirmou hoje o hospital em conferência de imprensa.

A informação foi inicialmente avançada pelo Jornal de Notícias, que falava em 24 doentes, mas três já tiveram alta.

O centro hospitalar confirmou também três óbitos associados à bactéria, no entanto, o hospital rejeita falar num surto como o que infectou mais de cem doentes em Gaia, em que a bactéria foi associada à morte de três pessoas.