Jornalistas estrangeiros que estão a fazer a cobertura da 46.ª edição da ModaLisboa destacam o talento e a criatividade dos novos criadores e falam da reputação da cidade, vista como a "nova capital jovem da Europa".

São, ao todo, 150 os jornalistas estrangeiros acreditados para o evento que hoje termina - que se somam aos 350 nacionais -, entre os quais está o brasileiro Paulo Mariotti, da Vogue Brasil.

Em declarações à agência Lusa, o jornalista contou que ficou "impressionado com a juventude" presente, que está a tornar Lisboa na "nova capital jovem da Europa".

O que vi na ‘passerelle’ foi energia criativa e vitalidade", acrescentou, salientando que as coleções dos jovens criadores da plataforma Sangue Novo espelham "a modernidade" do país.

Opinião semelhante tem a brasileira Grabiela Marçal, do jornal Estadão, que disse à Lusa que as criações destes novos estilistas a surpreenderam "porque entregaram coisas muito profissionais e com um conceito desenvolvido".

A repórter falou ainda das propostas dos estilistas de renome Carlos Gil e Miguel Vieira, que são "de qualidade mas também têm perfil comercial".

Para o blogger e jornalista da revista Elle Itália Roberto De Rosa, "é sempre bom ver o bom trabalho que está a ser feito pelos jovens 'designers', que se estão a posicionar no mercado da moda" e que podem, a seu ver, ter sucesso na Ásia.

Sandra Rojas, da revista Caras do Chile, indicou à Lusa que "há aqui muito talento e ‘designers’" que não se conhecem no seu país.

Sobre os jovens, considerou que "alguns são muito bons e têm futuro".

Italo Pantano, da Vogue Itália, disse ter gostado dos coordenados de Tânia Nicole (Sangue Novo) e de David Ferreira (da plataforma LAB).

Já o alemão Marcel Schlutt, da revista Kaltblut (especializada em moda mas dirigida ao público jovem) observou que "a qualidade e a criatividade é o melhor do Sangue Novo".

Sobre os estilistas com mais anos de carreira, argumentou que Nuno Gama, que este ano não apresentou coleção mas sim um filme sobre a sua experiência, "se inspira muito na história de Portugal".

No que toca à organização, Gabriela Marçal e Paulo Mariotti falaram em atrasos no início dos desfiles e sustentaram que deveria ser mais fácil falar com os ‘designers’ e entrar nos bastidores.

Por seu turno, Roberto De Rosa sugeriu que se aposte em trazer mais bloggers internacionais ao evento.

Nos próximos dias, cinco jornalistas e seis compradores vão fazer uma visita por fábricas de calçado no norte do país, numa iniciativa da Associação ModaLisboa.

Hoje continuam também as atividades abertas ao público em geral, todas de entrada livre.

Nesta edição, em que a ModaLisboa assinala 25 anos, o tema é "Kiss".