O Tribunal da Comarca de Aveiro condenou esta quinta-feira a seis anos de prisão um dos quatro jovens acusados de terem roubado pelo método de carjacking um BMW, numa gasolineira em Ovar, absolvendo os restantes arguidos.

O tribunal deu como provado que o jovem, de 23 anos, era um dos indivíduos que integrava o grupo que roubou a viatura, avaliada em mais de 25 mil euros, condenando-o a seis anos de prisão por um crime de roubo qualificado.

Este arguido foi o único dos quatro suspeitos que participou na reconstituição do crime, indicando o local onde a viatura foi recuperada, depois de ter sido abandonada pelos assaltantes.

Além disso, sete dias após o crime, as autoridades fizeram uma busca à sua residência e encontraram uma pen-drive que estava no interior do BMW roubado.

Segundo a juíza presidente, estes motivos foram suficientes para o coletivo de juízes concluir pela existência de «prova indiciária bastante» para imputar a este arguido a prática destes factos, em coautoria com três indivíduos.

Quanto aos restantes três arguidos, com idades entre os 21 e 24 anos, que estavam acusados do mesmo crime, o tribunal não encontrou provas do seu envolvimento, porque as testemunhas não identificaram os assaltantes, que atuaram com máscaras.

Os arguidos, que se remeteram ao silêncio durante o julgamento, têm todos antecedentes criminais e apenas quatro dias após o roubo do BMW foram detidos em flagrante delito a assaltar residências em Gouveia, estando atualmente detidos.

Segundo a acusação, os factos agora avaliados no tribunal de Aveiro ocorreram na tarde do dia 07 de julho de 2011, quando os assaltantes roubaram o BMW de um casal que estava a abastecer a viatura numas bombas de gasolina, junto da Estrada Nacional (EN) n.º 109, em Válega, Ovar.

Durante o assalto, um dos elementos do grupo chegou ainda a efetuar um disparo com uma caçadeira para o ar.