Os magistrados estão a ser aconselhados a não marcar julgamentos para depois de 31 de Agosto pelo Conselho Superior de Magistratura (CSM), escreve o «Público». Na base da recomendação está o facto do novo mapa judiciário entrar em vigor em setembro e muitos processos podem sofrer atrasos.

Em declarações ao «Público», a juíza Albertina Pedroso, explica que a decisão tomada a 4 de abril visa reduzir as perturbações que o novo mapa poderá ter na vida dos cidadãos. «Como não sabemos onde os juízes ficarão colocados, considerámos que é preferível adiar as marcações de novos julgamentos que serão feitas já pelos magistrados que ocuparem os novos lugares», justificou.

No entanto, os processos urgentes e os julgamentos em curso não estão incluídos nesta recomendação do CSM.

Mas antes desta recomendação ser tornada pública, já a Direcção-Geral da Administração da Justiça tinha emitido uma circular, a aconselhar os tribunais a não autorizarem férias aos funcionários judiciais na última semana de agosto.