Um homem que matou a mulher com 19 facadas em novembro de 2014, em Gondomar, distrito do Porto, foi condenado a 18 anos de prisão esta sexta-feira.

O homicida, de 45 anos, terá de indemnizar os dois filhos em 205 mil euros pela perda da mãe, dor e sofrimento causado, referiu a presidente do coletivo de juízes, durante a leitura da decisão judicial, no Tribunal São João Novo, no Porto.

O crime aconteceu a 08 de novembro de 2014, em Fânzeres, Gondomar, distrito do Porto, depois de uma discussão entre os dois por a mulher lhe ter pedido dez euros para fazer compras.

Nesse dia, a vítima mortal, de 39 anos, estava a adormecer o filho mais novo, quando o homicida chegou a casa alcoolizado e, depois de uma discussão, ele esfaqueou-a até à morte, apesar de o filho mais velho, à data com 17 anos, o ter agarrado para tentar impedir o crime.

“Nada justifica tirar a vida a alguém”, frisou a magistrada.

Durante o julgamento, o homicida confessou o crime, mostrando-se arrependido, dizendo que a mulher não merecia isso e que a amava.

“O tribunal sabe que está arrependido e que irá viver o resto da sua vida com o sentimento de culpa”, disse a juíza.

A magistrada lembrou que, por ano, morrem mais de 40 mulheres vítimas dos maridos, dizendo que a sociedade não percebe o que “vai na cabeça dos homens” que cometem estes crimes.