Notícia Atualizada às 21:50

 

O Instituto de Gestão Financeira e Equipamentos da Justiça (IGFEJ) cessou a comissão de serviço dos dois funcionários da Polícia Judiciária (PJ) que estavam ao serviço do Ministério e trabalharam na implementação do Citius. Os dois técnicos foram alvo de um processo disciplinar e de uma queixa criminal, por suspeitas de boicote ao arranque do programa.

 

De acordo com o que a TVI conseguiu apurar, os dois técnicos devem apresentar-se ao serviço na Polícia Judiciária já esta quinta-feira. Não está ainda claro que esta saída tenha partido da iniciativa do IGFEJ ou dos próprios funcionários da PJ, mas antecipa-se às conclusões da investigação da Procuradoria-Geral da República (PGR).

 

A PGR está a investigar um alegado caso de sabotagem informática na plataforma da justiça. Em causa as ações de dois técnicos de informática da PJ que estavam responsáveis pela migração dos 3,5 milhões de processos que acabou por bloquear no dia da entrada em vigor do novo mapa judiciário.

 

O gabinete da ministra da Justiça já veio entretanto esclarecer que os dois técnicos superiores da Polícia Judiciária (PJ) que trabalhavam na plataforma de gestão processual Citius «cessaram funções por deliberação do Conselho Diretivo do IGFEJ».